Você pode ser protagonista desta história: o cenário da autonomia na geração de energia elétrica | Hidroenergia Engenharia e Automação

Topo

+55 55 3331-1201

atendimento@hidroenergia.com.br


Você pode ser protagonista desta história: o cenário da autonomia na geração de energia elétrica

Postado em: 15 de Março de 2018

Autonomia Energética - Você protagonista desta história

É como se a gente estivesse numa daquelas cenas de filme futurista, onde é possível enxergar o mundo que viveremos daqui algumas décadas ou séculos, sabe? Então, nas próximas linhas você vai entender melhor essa analogia.

Há cerca de três anos o Ministério de Minas e Energia (MME) lançou o Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD).

Este foi um marco na história de uma das conquistas mais elementares que o homem já fez até hoje: a invenção da energia elétrica.

E o que você tem a ver com isso?

Tudo. Se levarmos em conta que você pode ser protagonista de um cenário que está sendo construído agora.

Pense em como tudo parece meio “automático” quando se está no meio da história a ser um dia contada. Será que no século XIX, quando diversos cientistas tentavam encontrar uma forma de fazer a energia durar e ser acessível, as pessoas perceberam o tamanho da descoberta que foi concretizada quando Thomas Edison inventou a lâmpada?

Talvez não. Especialmente porque a sociedade já estava habituada a viver com pequenos e isolados momentos com algum tipo de luz (estilo lamparinas ou mesmo tochas de fogo) e toda a sua rotina era envolvida sem a dependência da energia elétrica. Mas a partir daquela invenção, tudo mudou.

E hoje nós podemos enxergar como a energia elétrica foi e é fundamental para formar e manter a grande maioria dos serviços que nós utilizamos, mesmo que indiretamente. Desde a roupa que vestimos, o que comemos, até o modo como nos relacionamos com as pessoas e com o mundo.

Pensando nisso, dá para se ter uma ideia do que pode ser para o futuro esse grande serviço que está hoje disponível para nós e que pode ser a garantia de auto sustentabilidade e economia para as próximas gerações: a possibilidade de cada consumidor produzir a sua própria energia elétrica – dá ou não dá pra imaginar a cena do filme?

Trata-se da Geração Distribuída que nada mais é do que a energia elétrica distribuída (como o próprio nome sugere) entre pequenas usinas geradoras, administradas pelos próprios consumidores finais. Ou seja, a possibilidade de todos nós, cidadãos, gerarmos a energia elétrica que consumimos.

Se não ficar muito claro o que estamos dizendo, leia este artigo para entender o que é Geração Distribuída!

A geração distribuída é uma realidade relativamente nova que traz benefícios incontestáveis: redução do impacto ambiental, redução no carregamento das redes, minimização das perdas de produção de energia e diversificação dos modos de produção da mesma.

E não tem como “sobrar” energia: se num determinado mês a quantidade de energia gerada for superior a quantidade utilizada pelo consumidor, o mesmo fica com créditos que podem abater valores de faturas seguintes.

Além disso, pode-se também formar uma espécie de comunidade com outros consumidores (no caso da energia hidrelétrica, que demanda uma estrutura maior, para empresas e indústrias), de modo a utilizarem em comum à energia e dividir os gastos.

A classificação para os tipos de produção de Geração Distribuída são, de acordo com as regras que começaram a valer em 2016 – depois da publicação do ProGD – categorizadas em dois grandes grupos:

  • Microgeração distribuída a central geradora com potência instalada até 75 quilowatts (kW)
  • Minigeração distribuída aquela com potência acima de 75 kW e menor ou igual a 5 MW (sendo 3 MW para a fonte hídrica), conectadas na rede de distribuição por meio de instalações
    de unidades consumidoras. (Fonte: Aneel)

 

Obs.: A potência se refere a capacidade de produção em kW ou MW por hora.

 

Para ficar um pouco mais claro sobre a quantidade que cada um dos dois grupos representa, aqui vai um exemplo para que você possa traçar uma comparação na cabeça: 150 kw por mês é aproximadamente o consumo de uma casa com 4 pessoas que tomam dois banhos de 10 minutos por dia, mais os itens comuns que praticamente há em todas as casas: geladeira, ferro de passar, máquina de lavar louças, micro-ondas, televisão, computador, tutti quanti.

Imagina tudo isso administrado por você mesmo, dentro da sua própria casa ou empresa. Pensando um pouco além daquilo que apenas podemos ver agora: aqueles que estão investindo e participando ativamente deste novo modo de gerar energia elétrica, são protagonistas de uma “nova era”, de um legado inteiro que está sendo inaugurado nesse momento da história e que será herdado por gerações inteiras. Exatamente como fizeram aqueles que apostaram na descoberta da energia elétrica séculos atrás.

Não se trata apenas de melhorias e facilidades que encontrarão agora, que são MUITAS, mas também daquilo que estão fazendo para construir a sua própria biografia.

Segundo o MME,

Estima-se um investimento de 100 bilhões de reais na Geração Distribuída até 2030 com cerca de 2,7 milhões de unidades consumidoras gerando a sua própria energia entre residência, comércios, indústrias e no setor agrícola, o que pode resultar em 23.500 MW (48 TWh produzidos) de energia limpa e renovável, o equivalente à metade da geração da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

 

São dados animadores e que revelam um caminho seguro a trilhar.

Países com grande índice de desenvolvimento como Alemanha e Japão possuem números expressivos de consumidores que geram a sua própria energia e o retorno a gente vê no sucesso da economia desses países, dentre outros fatores, é claro.

O consumidor também “poderá usar os créditos para abater a fatura de outros imóveis cuja fatura esteja sob sua titularidade, mesmo em outros locais, desde que estejam na área de atendimento da mesma distribuidora”.

Sem falar na isenção de alguns impostos e nas garantias que o consumidor encontrará se investir nessa nova “linha de produção”. É mesmo como se ver nos filmes do futuro – sabendo exatamente como é que se fez para chegar lá.

E, talvez, a melhor notícia venha agora: você pode produzir a sua própria energia, contando com a experiência e o conhecimento que a Hidroenergia garante há 30 anos aos seus clientes – com tudo o que você vai precisar para entrar nesta nova etapa, sem correr riscos.

A internet, sendo o maior veículo de informação atual, como um dos serviços mais dependentes da energia elétrica, permitiu que você chegasse até aqui.

Agora, é fazer como os bons inventores do século XIX: vamos tomar um café e conversar melhor sobre a possibilidade de você gerar a sua própria energia?

 

Entre em contato conosco, será um prazer atendê-lo:

(55) 3331 – 1201
atendimento@hidroenergia.com.br

 

Fontes:

http://www.mme.gov.br/web/guest/pagina-inicial/outras-noticas/-/asset_publisher/32hLrOzMKwWb/content/programa-de-geracao-distribuida-preve-movimentar-r-100-bi-em-investimentos-ate-2030

http://www.aneel.gov.br/informacoes-tecnicas/-/asset_publisher/CegkWaVJWF5E/content/geracao-distribuida-introduc-1/656827?inheritRedirect=false

Deixe o seu comentário: