PCH: Você sabe o que é uma Pequena Central Hidrelétrica?Hidroenergia Engenharia e Automação

Topo

+55 55 3331-1201

atendimento@hidroenergia.com.br


O que é uma PCH (Pequena Central Hidrelétrica)?

Postado em: 24 de maio de 2018

PCH - Pequena Central Hidrelétrica - PCH Senhora do Porto - Hidroenergia

Uma PCH, Pequena Central Hidrelétrica, corresponde às usinas hidrelétricas de pequeno porte. Em outras palavras, são empreendimentos que utilizam a força da água para geração de energia elétrica e que possuem potência instalada entre 5MW e 30MW.

Qual a estrutura de uma PCH? Quais características que uma usina precisa ter para se enquadrar nesta classificação? Quanto de energia ela produz? Qual a capacidade da energia gerada por ela?

Estas e outras questões nós respondemos neste texto. Tudo o que você precisa saber a respeito de uma Pequena Central Hidrelétrica você encontra aqui.

Como funciona uma PCH?

Para compreender o funcionamento de uma PCH, primeiro você precisa entender sobre a geração de energia. Você já ouviu falar em ENAs – Energias Naturais Afluentes? A ENA é a quantidade de energia que pode ser produzida com base na vazão de água de um determinado rio. Assim, quanto maior a ENA, maior é a quantidade de energia que poderá ser produzida. É importante destacar que as precipitações podem influenciar diretamente na geração das usinas.

Agora sim, vamos entender como uma Pequena Central Hidrelétrica funciona:

É construída uma barragem no rio. O objetivo desta barragem é represar a água para formar um reservatório, muito parecido com um lago.

A agua é captada do reservatório e conduzida através de tubulações para a casa de força, que consiste em uma edificação onde ficam as turbinas e geradores. Ao chegar nela, a pressão da água da barragem movimenta as turbinas, gerando energia elétrica.

É na casa de força que ficam os painéis de controle da usina, o chamado sistema de automação. Ele gerencia a velocidade e a tensão dos equipamentos através do controle de entrada de água nas turbinas e da abertura e fechamento das pás (para modelos específicos).

Nas tubulações encontram-se os diversos sistemas de controle da usina, os chamados Hidromecânicos. Entre os equipamentos que podemos chamar de hidromecânicos estão: as válvulas e comportas para fechar e abrir a entrada de água; grades para evitar a passagem de galhos, pedras e outros objetos que podem danificar as turbinas; equipamentos para limpeza dessas grades; enfim, diversos itens que garantem a segurança e manutenção da PCH.

Quais normas definem o que é uma PCH?

No Brasil, quem estipula as normas para a área de energia elétrica, inclusive para geração de energia, é a Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. A Agência publicou no dia 22 de novembro de 2016 a Resolução Normativa n° 745, atualizando as normas para empreendimentos de geração de energia, dentre elas as PCHs.

Através deste documento foram reestabelecidas as características necessárias para que uma geradora de energia hidrelétrica seja considerada PCH. Além disso, foram esclarecidos os procedimentos necessários para receber a outorga de Pequena Central Hidrelétrica.

De forma resumida, a atualização da resolução considera como Pequena Central Hidrelétrica todo empreendimento de geração de energia com potência entre 5MW e 30MW e com área de reservatório de até 13km².

Importante destacar que a potência é a quantidade de energia gerada por hora de funcionamento, considerando a capacidade máxima de operação da hidrelétrica.

Nos documentos publicados anteriormente, a ANEEL limitava o reservatório da PCH em 3km² e a potência entre 1MW e 30MW.

Esta mudança é muito importante para o setor de geração de energia elétrica. Ao ampliar a potência de uma PCH, quem investe em Geração de Energia, pois muitos empreendimentos que antes eram considerados como Usinas Hidrelétricas (UHE), agora são consideradas PCHs, ou seja, a burocracia para sua construção é muito menor.

Falamos mais sobre as UHEs (Usinas Hidrelétricas) no artigo “O que é uma UHE (Usina Hidrelétrica)?”. Porém, se você quer saber mais sobre CGHs, as Centrais Geradoras Hidrelétricas, acesse o artigo neste link.

Qual a situação do setor atualmente?

Antes de mais nada é interessante compreender a história das Pequenas Centrais Hidrelétricas no país. A trajetória é recente, iniciou em 1997 com a extinção do monopólio do Estado no setor elétrico. Com isso, diversas empresas passaram a investir na execução de estudos e projetos para geração de energia renovável.

Os investimentos chegam a mais de R$ 1 bilhão para cerca de mil projetos. São 9 mil MW protocolados na Aneel, porém a grande maioria, cerca de 7 mil MW, ainda aguarda análise e aprovação.

Num panorama geral, o aproveitamento hidrelétrico ultrapassou 60% no país. Neste contexto, as Pequenas Centrais Hidrelétricas ocupam quase 4% de toda a energia gerada no sistema interligado nacional, o equivalente a 5,9 GW de capacidade instalada, distribuída em 1.124 empreendimentos.

​O governo tem como meta atingir 8,9 GW até 2027. A diretriz está exposta no Plano Decenal de Expansão de Energia 2027 (PDE 2027), um documento que indica as perspectivas, sob a ótica do Governo, sobre a expansão do setor de energia.

Qual a capacidade de abastecimento da energia gerada em uma PCH?

A cada 1MW de potência instalada em uma Pequena Central Hidrelétrica é possível alimentar aproximadamente 1.000 casas. Sendo assim, podemos afirmar que podemos abastecer entre 5.000 e 30.000 casas com a energia gerada em uma PCH.

Ficou com dúvidas sobre o assunto? Gostaria de acrescentar uma nova informação ou sugerir novos conteúdos? Deixe seu comentário neste post.

 

FONTES:

Hidroenergia

ANEEL – Resolução Normativa de 2003

ANEEL – Resolução Normativa de 2015

ANEEL – Resolução Normativa de 2016

EPE

Deixe o seu comentário: